fbpx
Image Alt

media

  /  Sete empresas portuguesas da área alimentar unem-se a favor do SNS

Sete empresas portuguesas da área alimentar unem-se a favor do SNS





Páscoa online e solidária decorre até 19 de abril

“Partilhe chocolates de Páscoa e ajude o Serviço Nacional de Saúde” é o mote da campanha. Em conjunto vão doar 5% das vendas.

 

 

Páscoa Solidária Candycat

 

A Binómio (Candycat), Arcádia, Avianense, Casa Grande (Not Guilty), Ferbar, Imperial (Regina e Jubileu) e Vieira de Castro (Vieira e Aliança), concorrentes no ponto de venda, são agora parceiras numa campanha solidária.

O objetivo é angariar fundos para o Serviço Nacional de Saúde (SNS) e estimular um convívio virtual de Páscoa entre quem, devido à pandemia da Covid-19, não pode estar junto fisicamente.

Através de uma mensagem clara – “Partilhe chocolates de Páscoa e ajude o SNS” –, os sete fabricantes decidiram que este era o momento para juntarem forças e ajudar o SNS.

A iniciativa decorre entre hoje e o próximo dia 19 de abril, sendo que por todas as vendas de produtos de Páscoa (amêndoas, ovos e coelhinhos de chocolate), as empresas oferecem cinco por cento das receitas ao SNS, para aquisição de EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual).

 

Mas a campanha vai mais longe. Conscientes de que muitos portugueses não poderão estar reunidos como habitualmente, o grupo de empresas quer estimular “um convívio de Páscoa virtual”, através das muitas plataformas de video chamada, enquanto se vai saboreando, em “grupo virtual “ Amêndoas, Ovos e Coelhinhos de Chocolate típicos desta quadra.

“Serão momentos alegres de convívio e de partilha com os que são próximos: avós, pais, irmãos, padrinhos, restante família e amigos”. 

E sugerem duas hashtags, para acompanhar os SMS que normalmente antecedem estes momentos: #pascoasolidaria e #pascoadigital.

 

Os responsáveis pelas sete empresas assinaram uma mensagem comum para enviar a todos os portugueses: “Estamos todos conscientes das dificuldades que este momento difícil está a gerar. Queremos estimular a compra de produtos portugueses e ajudar quem está na linha da frente no combate à pandemia.

Estamos certos de que, apesar da distância, os portugueses querem continuar a mimar aqueles de quem mais gostam, num sinal de amor e de esperança”.

E finalizam com “Um grande obrigado aos supermercados e hipermercados que, por todo o país, têm prestado um serviço inestimável a todos os portugueses”.